22/10/2018   -   Fonte: Notícias Agrícolas

Produtores de MT já plantaram 50% da área de soja e negociaram 1/3 da nova safra. Condições favoráveis geram boas expectativas

As condições climáticas favoráveis nesta temporada contribuíram para o avanço do plantio da soja no estado do Mato Grosso. Até o momento, os produtores rurais já cultivaram 50% da área destinada à cultura da oleaginosa e já negociaram boa parte da safra nova.

De acordo com o Superintendente do Instituto Mato-Grossense de Economia agropecuária (Imea), Daniel Latorraca Ferreira, alguns municípios do estado já tem quase 80% da área cultivada. “A evolução do plantio está cada vez mais acelerado por conta das janelas da segunda safra e também pelas as chuvas que beneficiam a semeadura”, afirma.

Com a maioria das áreas já cultivadas, os produtores rurais estão com boas perspectivas para a atual temporada que pode ter um bom potencial de produtividade e favorecer a segunda safra de milho e algodão. “Em relação ao mesmo período do ano anterior, nos tínhamos 26% da área plantada no estado. Então, esta safra bateu recorde na semana passada”, conta.

Atualmente, a área a ser destinada à cultura é de 9,619 milhões de hectares com uma produtividade estimada em 56 sacas/ha. “Nós podemos ter uma leve redução de rendimento se comparado ao ano passado, mas mantendo o patamar acima dos 55 sacas que atingimos na safra 2016/17”, destaca.

Nesta temporada, os produtores rurais investiram em tecnologia para ter lavouras com mais qualidade e não aumentaram a área semeada. “Apenas 2% das propriedades são áreas de primeiro e segundo ano, sendo que já atingimos um percentual de 19% na safra 2013/14”, comenta.

Os custos de produção se mantiveram nos patamares de R$ 3.616,00 por hectare, tendo em vista que é um valor muito semelhante ao ano anterior. “O que resta é muita atenção ao operacional do plantio, principalmente no controle de desenvolvimento da safra e a comercialização do que ainda falta”, diz Ferreira.

Contudo, os produtores rurais estão atentos com a sanidade das lavouras para não terem que realizar muitas aplicações de fungicidas. “Muitas propriedades já se prepararam para isso e inclusive acrescentaram aos custos. Agora é aguardar e manter o nível de controle elevado para não ter nenhuma surpresa futuramente”, pontua.

Preços

Na localidade, as referências para a soja está na média de R$ 65,00 a saca e cerca de  33% da safra já foi comercializada. “O maior desafio dessa safra é as negociações, pois tem muitas incertezas. A demanda está forte, mas não estamos conseguindo precificar de forma correta”, completa.  

 

Por: Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas