21/08/2018   -   Fonte: https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/soja

Soja tem bons preços nos portos do Brasil nesta 3ª feira com dólar próximo a R$ 4,00

No início da tarde desta terça-feira (21), os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago voltaram a recuar e, mais uma vez, apenas o contrato março/19 era cotado ainda na casa dos US$ 9,00 por bushel. O novembro/18, que é referência para as cotações neste momento, tinha US$ 8,86, e as baixas nas posições mais negociadas, por volta de 12h30 (horário de Brasília), eram de 6,50 pontos. 
 
Segundo explicam analistas internacionais, a pressão ainda vem de incertezas que pesam sobre a demanda da China nos EUA, uma vez que a guerra comercial segue em curso e apesar dos novos encontros que aparecem no final deste mês, e das perspectivas de uma grande safra norte-americana. 
 
O mercado recua mesmo diante de uma nova baixa - a terceira consecutiva - do índice de lavouras em boas ou excelentes condições nos EUA pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), reportado nesta segunda-feira (20). 
 
O número caiu de 67% para 66%. São ainda 24% dos campos em condições regulares e 11% em situação ruim ou muito ruim. 
 
"Nem com nova deterioração nas condições das lavouras, o pregão de soja na conseguiu reagir. Pesa a expectativa da confirmaçao de safra de soja recorde no  crop tour da ProFarmer esta semana e a entrada desta supersafra no mercado a partir das próximas semaans. Melhor aposta de reação continua sendo em cima de quaisquer rumores sobre um possível acordo comercial EUA/China", diz o diretor da Cerealpar, Steve Cachia. 

Nos primeiros dois dias do CropTour ProFarmer, os resultados mostraram produtividades acima da média nos estados de Dakota do Sul e partes de Ohio. 

Preços no Brasil

No Brasil, o dólar tem novo dia de boas altas e puxa os preços da soja mais uma vez. A moeda americana, afinal, chegou a encostar nos R$ 4,00 na sessão desta terça, com ganhos que mais uma vez se aproximam de 1%. 

Com isso, no porto de Rio Grande, a soja disponível tinha R$ 89,50 por saca, com pagamento para final de agosto´, de acordo com informações apuradas pela DeBaco Corretora de Mercadorias. Para pagamento início de outubro, R$ 90,70 e fim do mesmo mês, R$ 92,00 por saca. 

Da safra nova, R$ 86,00 por saca, entrega abril e pagamento final de maio. Para entrega maio e pagamento metade de junho, o indicativo vai a R$ 87,00. 

A cena eleitoral é o que mais pesa para a atuação do câmbio nesta terça-feira, depois dos resultados de mais uma  pesquisa eleitoral. 

No cenário sem Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL)lidera, com 20% das intenções de voto, pesquisa Ibope/ Estado/ TV Globo divulgada nesta segunda-feira, 20. Marina Silva (Rede), com 12%, está na segunda colocação e Ciro Gomes (PDT), com 9%, em terceiro.

"O mercado não considerava até poucos dias atrás um cenário sem Alckmin no segundo turno, mas já começou a precificá-lo. Assim, o dólar tem mesmo que ir para outro patamar", afirmou o economista da corretora Nova Futura, Pedro Paulo Silveira à agência de notícias Reuters.